17.11.14

Querido Blogue,

o cheiro daquele cantinho entre o o fim do pescoço e o principio do ombro
adormecer em conchinha
acordar de manha e ficar na ronha a sorrir um para o outro
beijos na testa
abraços apertados
sorrir tanto que ficam a doer as bochechas
aquele olhar embevecido
aquele sorriso cúmplice que só nós dois entendemos
borboletas na barriga
aquele bate-couro inteligente que eu gosto
esbardalhar-me a rir quando quero fingir-me zangada
lutas de almofadas 

Tenho saudades. Muitas saudades. Não desta ou daquela pessoa específica, mas de ter este sentimento por alguém.

2 comentários:

clara disse...

Também eu!

ana disse...

O problema é quando tudo isso passa..